Para Padilha, Câmara do DF deve discutir caso Arruda

O ministro de Relações Institucionais, Alexandre Padilha, disse hoje que a Câmara Legislativa do Distrito Federal é a estância mais apropriada para resolver o impasse político, na capital federal, deflagrado com o chamado escândalo do mensalão de Brasília.

LEONENCIO NOSSA, Agencia Estado

02 de dezembro de 2009 | 13h33

Em entrevista, Padilha disse que a Operação Caixa de Pandora, conduzida pela Polícia Federal, mostrou o aprimoramento do trabalho de investigação, com imagens fortes da operação em si, e não mais com pessoas algemadas, como era feito antes.

Questionado sobre a declaração do presidente Luiz Inácio Lula da Silva de que as imagens de distribuição de dinheiro não falam por si, Padilha disse que o que o presidente defendeu foi a continuidade da apuração para se saber o que realmente aconteceu.

Para Padilha, o novo escândalo não evidenciará à população que todos os partidos são iguais. "Não é isso. O que vai ficar claro é que os mecanismos de apuração estão funcionando e muitas pessoas da sociedade que não eram pegas antes foram pegas. Isso também, reforça que é importante agora que o Congresso (Nacional) vote uma agenda positiva", afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.