Para Padilha, derrubar vetos presidenciais é 'inviabilizar Estado'

Ministro de Aviação Civil, que vinha atuando na articulação política do governo, diz que espera adiamento da análise pelo Congresso

André Borges, O Estado de S. Paulo

22 de setembro de 2015 | 11h53

Brasília - O ministro de Aviação Civil, Eliseu Padilha, que vinha atuando na articulação política do governo, disse nesta terça-feira (22) que ainda há uma expectativa de que as matérias sobre os vetos que serão analisadas hoje pelo Congresso tenham votados apenas alguns destaques em vez do conjunto de todas as proposições. Com isso, segundo ele, os vetos, de fato, devem ficar para a próxima semana. Padilha disse, porém, que ainda se avalia a possibilidade de que todos os vetos, incluindo os destaques, sejam votados na próxima semana.

Uma das lideranças do PMDB, Padilha disse que derrubar ou não os vetos presidenciais não é uma questão meramente política, mas, sim, de impacto ao Estado brasileiro e que o que está em jogo não é apenas a gestão petista, mas os próximos governos do País. "Essa questão do veto se sobrepõe à esfera polícia. Ela está acima dessa discussão. Inviabilizar o Estado brasileiro é prejudicar o cidadão", disse o ministro.

Tudo o que sabemos sobre:
Eliseu PadilhavetosCongressoajuste

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.