Para o PL, é melhor não ter o Ministério dos Transportes

O presidente nacional do PL, deputado Valdemar Costa Neto (SP), avaliou que a política econômica do governo Lula tem impossibilitado o bom funcionamento do Ministério dos Transportes, pasta ocupada pela legenda com o ministro Alfredo Nascimento. "Nosso ministério é o responsável por tapar todos os buracos do Brasil. E todos sabem que as estradas estão uma vergonha, porque nós não podemos tapar os buracos por falta de recursos", argumentou. "Entramos no ministério para resolver o problema e se isso não é possível, é preferível não termos ministério", adicionou.Ele disse que o crescimento econômico de 2,7% verificado no primeiro trimestre deste ano em relação ao mesmo período do ano passado "não convence". "É muito pouco para o Brasil e a taxa de juros brasileira segue como a maior do mundo. E nós não somos o pior País do mundo", disse. Costa Neto voltou a criticar duramente o ministro da Fazenda, Antonio Palocci, e o presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, culpando-os pelo que ele considera ser o baixo crescimento econômico do País. Para o parlamentar, o ministro Palocci "não acompanha" a coordenação política do ministro-chefe da Casa Civil, José Dirceu. "E é por isso que o Dirceu não consegue coordenar melhor", afirmou. Memos possuindo em seus quadros o vice-presidente da República, José Alencar, e pertencer à base aliada do governo, o deputado recusou-se a aceitar co-responsabilidade na condução da política econômica brasileira. "Não perguntam nada da política econômica para o José Alencar ou para o PL. Não fomos ouvidos sobre a indicação do banqueiro Henrique Meirelles ao Banco Central", afirmou. Para ele, se o PL sair da base aliada, a situação do governo Lula ficará "pior ainda". "Sabemos que o presidente Lula é bem intencionado e queremos ajudar o governo a mudar", alegouo deputado, que acompanhou o encontro entre lideranças do PMDB, PDT e PSB para discutir a formação de uma "aliança alternativa" para disputa a eleição municipal este ano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.