Ricardo Stuckert/PR
Ricardo Stuckert/PR

'Para não cair, é preciso ajuda', diz Dilma

Questionada se desequilíbrio que enfrentou ao caminhar em uma rede em Milão é metáfora de seu 2º mandato, presidente diz que seu governo é mais firme; sobre a perda de votações no Senado, Dilma alega que a aprovação de projetos 'é complexa'

Andrei Netto, enviado especial a Milão, O Estado de S. Paulo

11 de julho de 2015 | 07h52

Atualizado às 16h17

A presidente Dilma Rousseff afirmou neste sábado, 11, em Milão, na Itália, que "para não cair" "é preciso de ajuda". A declaração foi feita depois de uma caminhada realizada em uma rede instalada no estande do Brasil na Expo Milano, a Exposição Universal que a delegação brasileira visitara instantes antes.

Dilma visitou o estande no início desta manhã, no último evento oficial previsto na sua turnê por Rússia e Itália realizada nesta semana. No início da visita, a presidente assinou o livro dos visitantes da Expo Milano - que tem como tema a alimentação - e aproveitou e deixou uma mensagem: "Alimentar o mundo e o Brasil é algo que tem sido nossa prioridade. Eliminar a fome e superar a pobreza foram as grandes conquista do Brasil na última década", afirmou.

Então a presidente decidiu se aventurar e caminhar por uma rede elástica que se estende do início ao fim do pavilhão, uma s grandes atrações do estande brasileiro na Exposição Universal. Em um primeiro momento, caminhando sozinha, Dilma teve dificuldades e balançou, sem cair. A seguir foi apoiada primeiro por uma, e depois por duas pessoas, conseguindo se estabilizar e concluir a caminhada pela rede, que definiu como "lúdica" e "muito criativa".

Minutos depois, questionada pelo Estado sobre se o desequilíbrio que enfrentou no início da caminhada, seguido de estabilização seria uma metáfora de seu segundo governo, Dilma afirmou: "Não, querido, o meu mandato é, eu diria, mais firme que essa rede".

A presidente seguiu explicando como fizera para caminhar, e então disse: "Quando você está lá em cima, você inclina para um lado e imediatamente vira para o outro, você fica balançando mesmo". Lembrada do fato de que, ainda que balançando, não chegou a cair, Dilma respondeu: "Eu não caí, mas a gente sempre para não cair precisa ser ajudada, né?".

As imagens da presidente caminhando na rede foram registradas por cinegrafistas de empresas privadas de mídia. O momento em que Dilma balança, porém, não foi distribuído pela equipe que registrou as imagens. Segundo a equipe de jornalistas oficiais, houve "ordens expressas" para que essas tomadas não fossem colocadas à disposição da imprensa.

Tudo o que sabemos sobre:
Dilma Rousseffpolítica

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.