Para MST, governo só apóia exportação

"O Ministério da Agricultura só ajuda os grandes agricultores, aqueles que têm produção voltada à exportação", disse hoje Gilmar Mauro, da direção nacional do MST, que coordena a manifestação dos sem-terra na região central de São Paulo. "Para o pequeno agricultor, existe o ´ministério da compensação social´", acrescentou. Segundo ele, o governo incentiva a exportação dos grandes produtores, mas não abre linhas de crédito para os pequenos, e nem para os sem-terra recém-assentados.Os manifestantes estão seguindo, agora, para a praça da Sé, onde almoçarão e farão, às 15h00, um ato de protesto. Eles já se manifestaram em frente à sede da Polícia Federal à sede do Citibank; e a uma unidade da rede Mc Donald´s, que, segundo eles, representam o capitalismo e os organismos internacionais que intervêm no Brasil. O trânsito, na avenida Paulista, ficou complicado com a manifestação. Os cerca de 200 sem-terra, segundo a Polícia Militar, ocuparam a faixa de ônibus da avenida. Segundo Mauro, há, no protesto, integrantes da Associação dos Funcionários do Banco do Estado de São Paulo (Fubesp), do Sindicato dos Bancários do Estado de São Paulo e do Sindicato dos Petroleiros do Estado de São Paulo. Mauro disse, ainda, que sem-terra de Campinas, Limeira, Piracicaba, Sorocaba, Ribeirão Preto e outras cidades vieram para o movimento. O dirigente afirmou que as mulheres do MST acamparão em São Paulo, nesta semana, e farão novos protestos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.