Para minimizar desgaste político, Temer coloca mulher na presidência do Ibama

Donizette Aurélio do Carmo, que é funcionário de carreira e já foi diretor do Ibama, era o favorito para o cargo

André Borges, O Estado de S.Paulo

17 de maio de 2016 | 23h46

BRASÍLIA - Em sua estratégia de tentar reduzir o desgaste político causado pela ausência de mulheres no primeiro escalão do governo, o presidente em exercício Michel Temer voltou atrás em seus planos para a presidência do Ibama e decidiu nomear uma mulher para ocupar o cargo.

O ‘Estado’ apurou que o comando da principal autarquia ligada ao Ministério do Meio Ambiente será ocupado por Suely Araújo, consultora da Câmara especializada em temas ambientais. A nomeação é uma surpresa para o setor.

Desde a semana passada, quando foi confirmada a nomeação do deputado Sarney Filho (PV-MA) para ministro do MMA, era aguardada a nomeação de Donizette Aurélio do Carmo, que é funcionário de carreira e já foi diretor do Ibama.

Suely Araújo assumirá o posto que foi ocupado por um ano por Marilene Ramos, que deve retornar ao Rio de Janeiro, onde atua como professora da Fundação Getúlio Vargas.

Formada em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade de Brasília, Suely Araújo também tem graduação em Direito pelo Centro de Ensino Unificado de Brasília e é mestre e doutora em Ciência Política pela UnB. É consultora legislativa da Câmara desde 1991, atuando nas áreas de meio ambiente e direito ambiental, urbanismo e direito urbanístico.

Mais conteúdo sobre:
Michel Temer

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.