Para Mentor, é injusta decisão do Conselho de Ética

O deputado José Mentor (PT-SP) classificou de injusta a decisão do Conselho de Ética da Câmara de rejeitar o parecer que recomendava o arquivamento do processo contra ele. "Não esperava que questões político-partidárias fossem se sobrepor às provas que eu trouxe aqui. Infelizmente, hoje, prevaleceram interesses políticos. Hoje, se fez injustiça", afirmou Mentor, acusado de envolvimento no chamado esquema do mensalão. Ele disse que, agora, vai trabalhar para ganhar a disputa no plenário, onde um pedido de cassação de seu mandato, a ser elaborado no Conselho de Ética pelo deputado Nelson Trad (PMDB-SP), será votado se for aprovado pela maioria dos integrantes do Conselho. Mentor disse que ainda não decidiu se vai ou não recorrer à Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) contra a decisão desta quinta-feira do Conselho de Ética.

Agencia Estado,

23 de março de 2006 | 16h38

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.