Para Marta, Serra já começou radicalização contra governo

A prefeita de São Paulo e candidata à reeleição, Marta Suplicy (PT), afirmou hoje, durante campanha no bairro da Liberdade, que o candidato José Serra (PSDB) "já começou a radicalização contra o governo federal". Nesta semana, Marta disse que essa postura seria adotada por Serra no dia seguinte às eleições, caso saísse vencedor. "E foi o que ele fez ontem. Já começou a bater no Lula, no governo federal, nas farmácias populares. O que ele disse que era uma bobagem, reafirmou no dia seguinte", atacou Marta.Segundo Marta, é improcedente a informação de que haveria um acerto entre ela e o candidato do PP, Paulo Maluf, de evitar ataques mútuos e centrar o fogo em José Serra. A petista evitou criticar diretamente a candidata do PSB e do PMDB à Prefeitura de São Paulo, Luiza Erundina, por conta das acusações de corrupção no processo de licitação do lixo desferidas contra a administração petista. "Vejo ela falando essas coisas e fico pensando porque ela faz desse jeito. Porque ela sabe muito bem que isso não procede", afirmou Marta.A prefeita endossou ainda as declarações do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, de que não haveria problema algum em uma eventual troca de partidos na Prefeitura paulistana. "Concordo plenamente com o presidente Lula. Sei que o presidente é uma pessoa absolutamente democrática", acrescentou Marta, ao sair de um almoço oferecido por membros da comunidade japonesa em um tradicional restaurante do bairro da Liberdade. A prefeita e o marido, Luis Favre, trajavam quimonos, presente oferecido por um comerciante.Satisfação com pesquisasDurante a visita à Liberdade, Marta foi aplaudida por populares e não escondeu a satisfação com os resultados da última avaliação de governo, realizada pelo Datafolha e divulgada hoje. Segundo a pesquisa, 42% da população avalia como ótimo ou bom a gestão da petista, o melhor índice de aprovação de todo o seu mandato."A gente está tendo a oportunidade de mostra à população o que foi feito e isso faz a diferença", afirmou a prefeita. "Com a campanha eleitoral e os programas eleitorais, a gente tem condição de mostrar e isso certamente vai causando um bom impacto na população", completou ela.A prefeita negou, contudo, que tenha intensificado o corpo-a-corpo nas últimas semanas. "Corpo-a-corpo eu fiz desde o primeiro dia do governo. Visito a população duas vezes por semana desde o primeiro dia", defendeu-se. Segundo Marta, "uma de suas atividades mais prazerosas como pessoa e política é sair na rua, conversar com as pessoas, saber o que a população está sentindo, ouvir as reclamações".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.