Para Mantega, reforma tributária é 'jogo de ganha-ganha'

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, admitiu hoje que há pontos na proposta de reforma tributária sobre o Fundo de Equalização de Receitas e o Fundo de Desenvolvimento Regional que precisam ser amadurecidos para dar segurança aos Estados de que não haverá perda de arrecadação com a criação do novo Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços (ICMS). "É um jogo de ganha-ganha. Quem tiver perdas, haverá dois fundos de compensação", afirmou Mantega, após participar de uma reunião com a bancada do PMDB na Câmara dos Deputados. Durante a audiência, as regras para partilha dos recursos dos dois fundos foram as principais preocupações dos parlamentares do PMDB. Alguns deputados defenderam que essas regras estejam definidas na Constituição. No entanto, o ministro da Fazenda evitou se posicionar. Mantega afirmou que, a partir dessa discussão de hoje, o PMDB estará engajado na aprovação da proposta. O ministro disse que a reunião foi "muito boa" e importante porque o PMDB é o maior partido da base aliada. Para Mantega, a proposta de reforma tributária foi muito bem recebida no Congresso. "É claro que alguns governadores temem perder recursos. O nosso papel é mostrar que não haverá perdas com a reforma tributária", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.