LUIS MACEDO/CAMARA DOS DEPUTADOS
LUIS MACEDO/CAMARA DOS DEPUTADOS

Para Maia, ataque à caravana de Lula é fruto da 'radicalização na política'

Segundo o pré-candidato à Presidência, as eleições deste ano precisam mudar "esse ciclo político que já se esgotou"

Isadora Peron, O Estado de S.Paulo

28 Março 2018 | 04h11

BRASÍLIA - O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou que o ataque a tiros aos ônibus da caravana do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva nessa terça-feira, 27, é fruto da "radicalização na política" pela qual passa o Brasil.

"São anos de radicalização na política, entre PT e PSDB, radicalização durante a eleição, radicalização depois no impeachment e também uma radicalização dos movimentos sociais ligados ao PT contra o direito de propriedade. Tudo isso vai gerando um caldeirão, mas esta na hora de virar essa página", disse Maia.

+ Jungmann diz que tiros contra caravana de Lula são inaceitáveis

 Segundo ele, que é pré-candidato à Presidência, as eleições deste ano precisam mudar esse "ciclo político que já se esgotou". "Os acontecimentos dos últimos anos e estes últimos desta semana mostram que precisamos acabar com esse radicalismo que o Brasil vive hoje", afirmou.

 Maia citou também o fato de ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), ter relatado nesta terça que está sofrendo ameaças. Para ele, esses acontecimentos mostram que o radicalismo que vive o País "já passou de qualquer nível".

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.