Para Lula, seqüestro feito pelas Farc é 'abominável'

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou hoje, em Havana, que considera "abominável" o seqüestro de seres humanos. A declaração foi em resposta a uma pergunta sobre a prática das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) de capturar pessoas como forma de pressionar o governo daquele país."Fazer com que pessoas inocentes paguem o preço da disputa política não é admissível para qualquer ser humano do mundo. É abominável essa história de seqüestros", declarou. Lula acrescentou que a manutenção de pessoas em cativeiro "não pode ser feita por nenhum ser humano em juízo perfeito, no mundo."Ele citou o caso pessoal de optar por disputar o poder em eleições. "Eu fiz uma opção pela democracia. Construí um partido e, em 20 anos, cheguei à Presidência da República. As Farc fizeram uma opção que já dura 40 anos", disse, referindo-se ao recurso às armas, que mantém essa organização em luta com sucessivos governos colombianos.Lula informou que conversou ontem, na Cidade da Guatemala, com os presidentes da Venezuela, Hugo Chávez, e da Colômbia, Álvaro Uribe, que travam uma guerra verbal em torno das Farc e da recente libertação de duas reféns pelo grupo armado com mediação do venezuelano. O presidente brasileiro disse que, depois da conversa com Chávez e Uribe, acha possível uma reconciliação entre eles. "Eu penso que o sinal das Farc de liberar dois reféns foi um gesto importante. Acho que o Chávez contribuiu, e o Uribe contribuiu, e eu penso que os dois, como chefes de Estado, não podem ficar fazendo cara feia um para o outro", afirmou. Menos de cinco dias após a libertação das duas reféns, as Farc seqüestraram, ontem, um grupo de turistas colombianos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.