Para Lula, modelo de casa popular é uma ´vergonha´

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse na tarde desta quarta-feira a um grupo de ministros e técnicos que é uma "vergonha" o modelo de casa popular, financiada pela Caixa Econômica Federal, que entregou a 239 famílias da Grande Salvador, em 21 de março do ano passado. "A casa que eu vi em Lauro de Freitas é uma vergonha, uma casa daquela, sem espaço, não pode ser construída", reclamou, com voz exaltada, numa reunião no Palácio do Planalto.Ele cobrou projetos de casas mais espaçosas para pobres no pacote de medidas para desenvolver o setor de infra-estrutura. As casas de Lauro de Freitas, cidade baiana a 40 quilômetros do centro de Salvador, têm 27 metros quadrados cada, com um quarto, uma sala, um banheiro e uma cozinha.Lula também estava com voz exaltada no discurso de entrega das chaves dessas casas, durante a fase pré-eleitoral. À época, no entanto, o presidente preferiu fazer um discurso para lembrar que uma moradia é um "ninho de passarinho", sem fazer críticas ao modelo das casas construídas pelo projeto do governo federal Habitar Brasil.Quem mora numa das casas entregues por Lula em Lauro de Freitas é o menino Everton Conceição Santos, de 8 anos, que foi símbolo da campanha pela reeleição. Everton conseguiu se aproximar do presidente, durante a solenidade de entregas das chaves. Foi quando foi fotografado com a mão na barba de Lula.Durante a visita a Lauro de Freitas, o presidente chegou a entrar nas residências. Depois de cumprimentar moradores, ele chamou ao palanque Sandra Paiva de Assis, uma das pessoas beneficiadas pelo programa, e perguntou se ela estava feliz com a casa de menos de 30 metros quadrados, com um quarto e uma sala. "Está feliz? Pode falar", disse Lula. "A casa é o nosso aconchego maior, é onde a gente vai cuidar dos nossos filhos", completou.Em Lauro de Freitas, o presidente avaliou que a palafita é o pior tipo de habitação que pode existir. Todas as 239 famílias beneficiadas pelo programa Habitar Brasil moravam em palafitas. "A palafita é a degradação maior de habitação do ser humano", disse Lula à época.Nesta quarta, durante reunião para discutir um pacote de medidas para desenvolver o setor de infra-estrutura, Lula chegou a exaltar a voz para reclamar das casas construídas pelo projeto Habitar Brasil, em Lauro de Freitas. "A gente não pode ficar preso a projetos", afirmou. A cobrança dele ocorreu diante de fotógrafos e cinegrafistas que estavam no gabinete do terceiro andar do palácio para fazer imagens de parte do encontro.No encontro, Lula disse aos ministros que havia gostado de um projeto de casa popular que conhecera em Sergipe, por ter, segundo ele, mais espaço, apesar de não ser grande. "Ali era uma idéia de gênio", avaliou. Participaram da reunião os ministros Dilma Rousseff (Casa Civil), Paulo Bernardo (Planejamento, Orçamento e Gestão), Pedro Brito (Integração Nacional) e Bernard Appy, ministro interino da Fazenda.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.