Para Lula, lucros recordes de bancos compensam alta da CSLL

O presidente Luiz Inácio Lula daSilva afirmou nesta segunda-feira que os resultados recordesrecentes dos bancos compensarão o aumento da ContribuiçãoSocial sobre Lucro Líquido (CSLL) anunciado no início do ano. Ele reiterou também, em seu programa de rádio "Café com oPresidente", que o governo manterá os programas sociais, apesardo fim da CPMF. "Aumentamos (a CSLL) de 9 para 15 por cento. E osbanqueiros não reclamaram. E não reclamaram por quê? Porque osbancos tiveram muito lucro nesses últimos anos. Os bancos estãoganhando...vão poder pagar um pouco mais", disse o presidente. O governo elevou também o Imposto sobre OperaçõesFinanceiras (IOF) para contrabalançar as perdas com aarrecadação da CPMF. Diante da perda do imposto, o presidente disse que"resolvemos com muita seriedade e com muitatranquilidade...anunciar ao Brasil que temos que cortar na veiaoutra vez, ou seja, temos que cortar gastos". De acordo com ele, tal corte de gastos valerá para osPoderes Executivo, Legislativo e Judiciário. Ainda assim, o presidente declarou que os programas sociaisserão mantidos e que o investimento em educação "é condiçãofundamental para que o Brasil dê um salto de qualidade". "Quando nós tivermos com todas as escolas públicasbrasileiras com banda larga, com laboratório de informática,nós estaremos fazendo uma revolução silenciosa", acrescentou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.