Para Lula, economia não será motivo de medo na eleição

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse não acreditar que no próximo processo eleitoral setores da sociedade tenham receio de fuga de capitais e volta da inflação, mesmo ambiente que enfrentou nas eleições de 2002. Naquela época, o então candidato petista reforçou a imagem do "Lulinha Paz e amor" para afastar temores sobre mudanças bruscas no País."Que nenhum empresário, nenhum trabalhador tenha medo de que o próximo presidente vai facilitar a fuga de capitais, que vai voltar a inflação, que os estrangeiros não vão investir", disse. E continuou: "Só peço a Deus que quando terminar meu mandato este discurso não seja motivo e razão para o debate econômico do País.""Vamos fazer todo o esforço para que a inflação continue controlada. Manter a inflação controlada não é decisão econômica, mas um valor de conquista das pessoas mais pobres e da sociedade como um todo", destacou Lula em seu discurso de improviso. Ele reclamou que todas as vezes que a economia apresenta um bom desempenho há um grande número de reivindicações para interferir na política econômica.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.