Para Lula, "dinastia Sarney" derrubará Roseana nas pesquisas

O presidente de honra do PT, Luiz Ignácio Lula da Silva, afirmou hoje acreditar que o bom desempenho nas pesquisas de intenção de voto da pré-candidata do PFL à presidência, Roseana Sarney, não "se manterá depois que o jogo começar". "Ela foi vendida com a imagem da madre Tereza de Calcutá, de mulher boa, mãe e avó, mas acho que essa imagem muda na hora que começar a se mostrar o que é a realidade no Estado do Maranhão e o que significa a dinastia da família Sarney. Aí as coisas mudam?, declarou hoje em visita ao Rio.Mesmo afirmando que ainda não é candidato à presidência pelo PT, Lula discursou em clima de campanha e ainda ironizou outros pré-candidatos. Em uma referência a uma possível aliança com o pré-candidato do PPS, Ciro Gomes, o petista brincou: "O PT é o único partido que ainda não definiu candidato. Mas não é possível que alguém que tem 5% nas pesquisas queira que se comparar com outro que consegue mais de 30%. E ainda ficam falando no teto do Lula. Que história de teto é essa? Eu sou sem-teto".Lula declarou, em uma reunião do partido de filiação de cinco novos integrantes (entre eles o ex-PDT Luiz Salomão), que o partido está tentando fazer acordos e novas alianças. "Estamos doidos por uma aliança, mas não depende só do PT", afirmou. "Houve um tempo que eu brigava muito para ser candidato, mas hoje se os companheiros do PT me mostrarem estudos que apontem o candidato de outro partido com melhores condições, eu estarei cabo eleitoral no dia seguinte. Mas terá que ser um candidato melhor do que o nosso. Aí podemos conversar."Segundo ele, a esquerda nunca esteve tão perto de uma vitória (para eleger um presidente no ano que vem) como está agora. "Nunca houve um quadro tão favorável, mas teremos que conversar." E brincou: "Outro dia mesmo falei com o José Dirceu (presidente nacional do partido), vamos conversar com o Brizola e ouvir um pouco de desaforos, vamos falar também o Itamar. Não temos nada a perder e ainda aprendemos a ter um pouco mais de tolerância."Lula participou de uma reunião com membros do PT carioca para traçar uma estratégia partidária para o caso de a vice-governadora do Rio, Benedita da Silva, ter que assumir o governo em abril (se o governador Anthony Garotinho decidir sair candidato à presidência). Para o petista, uma boa administração petista no Rio - mesmo com pequena duração - poderia melhorar a imagem do partido frente a um eleitorado resistente ao PT.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.