Para Lula, crise dos alimentos deve ser vista como oportunidade

O presidente Luiz Inácio Lula daSilva disse na quinta-feira que a atual crise mundial dosalimentos deve ser vista como uma oportunidade e não como umproblema pelos países sul-americanos ou pelas empobrecidasnações da América Central. Uma demanda maior por produtos alimentícios da parte depaíses em desenvolvimento, como a China, somada a um declínionas colheitas e a uma alta na produção dos biocombustíveisreduziram a oferta de alimentos básicos no mercado mundial eprovocaram uma forte alta dos preços. Lula, um defensor da produção de biocombustíveis, chegou nanoite de quarta-feira a El Salvador a fim de reunir-se, no diaseguinte, com empresários e dirigentes de paísescentro-americanos. "Sem dúvida, esse é um problema bom, porque significa quetemos de produzir mais alimentos", afirmou Lula em um fórum doqual participaram empresários. "Temos terras, temos água, temos Sol, temos mão-de-obra.Precisamos transformar isso tudo em uma oportunidade e não emum momento de desespero, de falta de esperança", acrescentou. Lula deve reunir-se com vários presidentescentro-americanos para dar início a um processo de aproximaçãocom vistas a selar um acordo comercial entre os países doSistema de Integração Centro-Americano (Sica) e o Mercosul,bloco do qual fazem parte o Brasil, a Argentina, o Paraguai e oUruguai. O presidente esteve antes no Haiti, onde visitou ossoldados brasileiros nesse país. (Reportagem de Alberto Barrera)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.