Para Lula, crise de Sarney está em fase de superação, diz Múcio

Presidente do Senado anunciou nesta 2ª, um mês após reportagem do 'Estado', a anulação dos 663 atos secretos

Leonardo Goy, Gerusa Marques e Célia Froufe, da Agência Estado,

13 de julho de 2009 | 14h05

O ministro das Relações Institucionais, José Múcio Monteiro, disse nesta segunda-feira, 13, que, na avaliação do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e de todo o governo, a crise envolvendo o presidente do Senado, José Sarney, está "em fase de superação". Questionado se a decisão de Sarney de cancelar os chamados atos secretos melhora a relação do Senado com o Executivo, Múcio respondeu que a relação sempre foi boa. "Entendemos que o Senado vai superar esse momento de dificuldade e os próprios senadores querem isso."

  

Veja Também:

especialESPECIAL MULTIMÍDIA: Entenda os atos secretos e confira as análises

especial ESPECIAL: O que será apurado na CPI e a cronologia do caso 

trailer Galeria: vista aérea da casa particular de José Sarney na Península dos Ministros 

lista Confira a lista dos 663 atos secretos do Senado

lista O ESTADO DE S. PAULO: Senado acumula mais de 300 atos secretos

lista O ESTADO DE S. PAULO: Neto de Sarney agencia crédito no Senado 

linkLíder tucano quer que CPI da Petrobras apure Fundação Sarney

 

Segundo Múcio, a avaliação sobre a situação do Senado e da CPI da Petrobras foi feita rapidamente no início da reunião ministerial pelo ministro da Secretaria de Comunicação, Franklin Martins. "A CPI da Petrobras terá de ser instalada. Temos de respeitar a vontade do Senado e o governo sempre trabalhou assim", disse Múcio.

 

Sarney é alvo ainda de denúncias de desvios na fundação que leva seu nome. Segundo reportagem do Estado, a entidade recebeu R$ 1,3 milhão da Petrobras para um projeto que não saiu do papel.

 

Com relação a notícias de que a secretária da Receita Federal, Lina Vieira, teria sido demitida pelo ministro da Fazenda, Guido Mantega, Múcio não confirmou a informação e disse que esse é um assunto do Ministério da Fazenda e, portanto, não foi tratado na reunião ministerial.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.