TIAGO QUEIROZ/AE
TIAGO QUEIROZ/AE

Para Lula, Brasil estará entre as maiores economias em breve

Presidente afirma que crise está superada e que atitudes de seu governo deram respeitabilidade ao País

Rodrigo Alvares, do estadao.com.br,

19 Outubro 2009 | 23h07

O presidente Luiz Inácio lula da Silva discursou na noite desta segunda-feira, 19, durante a premiação da revista Carta Capital das empresas mais admiradas do país. Lula ressaltou que o país saiu da crise mais forte do que nunca: "Viraremos a quinta economia do mundo mais cedo do que esperamos."

 

O presidente disse ter orgulho do momento que o País vive e ressaltou diversas vezes que a crise financeira está superada. "Essa crise está permitindo que o Estado seja mais Estado", analisou, acrescentando que o período difícil foi bom para o Brasil.

 

O otimismo estava presente em toda a fala do presidente. Para Lula, o país tem condições de "ficar entre as quatro economias do mundo". Ele também elogiou os empresários e destacou a respeitabilidade que seu governo deu ao país. "Eu sou do tempo em que a gente ia dormir com um plano financeiro acreditando que estaríamos ricos e na manhã seguinte descobríamos que estávamos devendo mais que o dobro do que antes. As pessoas tentavam fazer deste país a sua tese acadêmica" , criticou, afirmando que seus precursores "não queriam que o povo tivesse acesso ao capital".

 

 

Entre os avanços de seu governo, Lula ressaltou o programa Luz Para Todos. De acordo com o presidente, quando o programa atingiu dois milhões de pessoas, o consumo na região onde elas moravam aumentou. Ele citou que isso foi devido a alavancagem na compra de televisores, geladeiras e aparelhos de som.

 

Acompanharam o presidente na premiação a ministra chefe da casa civil, Dilma Rousseff, o ministro de Comunicação Social, Franklin Martins, o ministro do Planejamento, Miguel Jorge, o ministro da Fazenda Guido Mantega e o presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli.

Mais conteúdo sobre:
Lula economia Carta Capital São Francisco

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.