Para Luciana Genro, Dirceu pensa como os radicais

A deputada Luciana Genro (PT/RS) disse hoje estar satisfeita de saber que entre os petistas existe um ministro que pensa, como ela, que a atual política do governo Lula não se alinha com que o PT sempre defendeu. A deputada referiu-se às críticas feitas ontem pelo ministro-chefe da casa Civil, José Dirceu, que neste mesmo seminário sobre Previdência, sem saber que suas palavras estavam sendo transmitidas por um telão, na sala de imprensa, criticou a política monetária do Banco Central. "Falta, agora, José Dirceu completar o raciocínio e dizer o que o governo vai fazer para retomar o crescimento do País", disse Luciana ao chegar ao hotel Braston, em São Paulo, onde ocorre o seminário do PT sobre reforma da Previdência.De acordo com ela, é preciso voltar fazer o emprego e o salário dostrabalhadores crescerem. "O governo foi contra o gatilho salarial proposto pelo Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo do Campo. Isto mostra que seu modelo econômico é o mesmo do governo anterior", lamentou Luciana. Para a deputada, as declarações do ministro José Dirceu foi uma confirmação das críticas que ela e outros membros do PTvêm fazendo à política econômica do governo Lula há vários meses.Luciana também voltou a atacar os projetos de reforma da previdência e tributária. "Os projetos de reforma apresentados pelo governo federalobjetivam somente agradar o mercado financeiro internacional, que representa uma regressão no estado nacional que o PT sempre defendeu". A deputada, que foi suspensa do partido pela Comissão de Ética, pelo suposto envolvimento do episódio da divulgação de uma fita gravada em 1987, contendo críticas ao atual presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, disse que continua mantendo sua posição contrária sobre o projeto de reforma da Previdência, que foi enviado pelo governo ao Senado.Sobre sua punição, Luciana disse estar disposta a dialogar com a cúpula do partido e com a Comissão de Ética sobre o episódio. Segundo ela, a sua suspensão e a do deputado João Fontes (PT/SE) se deu sem que eles fossem ouvidos. De acordo com a deputada, a divulgação da fita foi feita pelo deputado João Fontes e ela não teve participação no evento.Luciana não acredita que seu afastamento seja o primeiro passo para aexpulsão dos dois parlamentares do PT. "Espero que o partido não inaugure a política de expulsão por delito de opinião. Queremos voltar a fazer parte dos debates econômicos e políticos do País", disse a deputada.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.