Divulgação
Divulgação

PARA LEMBRAR: Partido não declarou gastos com jato

O Estado de S. Paulo

16 de janeiro de 2015 | 00h30

 A morte do então candidato à Presidência pelo PSB, Eduardo Campos, terceiro colocado nas pesquisas, provocou uma comoção. Após o acidente com o presidenciável, a ex-ministra Marina Silva, candidata a vice, decidiu assumir a cabeça da chapa. Marina chegou a liderar algumas pesquisas, mas ficou fora do 2.º turno e terminou a disputa eleitoral na terceira colocação.

Durante a campanha, surgiram dúvidas sobre a propriedade do jatinho e suspeitas de que a aeronave teria sido paga com recursos de caixa 2. Oficialmente, três empresários pernambucanos, com ligações diretas e indiretas com o ex-governador, se apresentaram como compradores do jato Cessna Citation. 

Logo depois do acidente, o PSB informou que os valores pelo uso do jatinho seriam lançados na prestação final de contas do partido, mas isso não ocorreu.

Notícias relacionadas
    Tudo o que sabemos sobre:
    Acidente CamposEduardo Campos

    Encontrou algum erro? Entre em contato

    Tendências:

    O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.