Beto Barata/Estadão
Beto Barata/Estadão

Para lembrar: com Gilmar, Temer sempre manteve diálogo constante

Em agosto, presidente disse 'sempre' se encontra com ministro para discutir política

Vera Rosa e Rafael Moraes Moura, O Estado de S. Paulo

25 de dezembro de 2017 | 03h00

Em agosto deste ano, ao defender a proposta que prevê a adoção do semipresidencialismo no Brasil, o presidente Michel Temer afirmou que estava em constante diálogo com o ministro do Supremo Tribunal Federal Gilmar Mendes, também presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Na ocasião, Temer disse que “sempre” se encontra com Gilmar para discutir política. No regime semipresidencialista um primeiro-ministro atua como chefe de governo. Na avaliação de Temer, o modelo seria “extremamente útil” ao País “a partir de 2022”.

No Fórum Estadão sobre reforma política, também realizado em agosto, Gilmar observou que o sistema semipresidencialista evitaria muitas crises políticas vividas pelo País. “Os presidentes são cada vez mais ‘Câmara-dependentes’, ‘Congresso-dependentes’. Então, é preciso que a gente separe as coisas de Estado das coisas de governo. Por isso, parece-me que o semipresidencialismo seria um caminho”, disse o ministro.

 

Para ser aprovada, a proposta de emenda constitucional que muda o regime de governo precisa do apoio de 308 deputados e 49 senadores, em dois turnos de votação.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.