Para Jungmann, governo assentou 100 mil famílias

O ministro do Desenvolvimento Agrário, Raul Jungmann, minimizou nesta sexta-feira a redução das áreas destinadas a assentamentos em 2001, em relação a 2000. "Não é redução. Em 2000 fizemos um grande estoque de terras que passaram a ser usadas no ano seguinte", disse Jungmann, enfatizando que, em ambos os anos, o governo cumpriu a meta de assentar pelo menos 100 mil famílias.Por isso mesmo, segundo ele, perde relevância o fato de ter caído de 108 mil para 102 mil o número de famílias atendidas entre 2000 e 2001. Jungmann afirmou que a meta para este ano é a mesma, ou seja, permitir o acesso à terra de 100 mil famílias.O ministro anunciou que o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) vai realizar neste ano um censo da reforma agrária para acabar com a polêmica em torno dos números divulgados pelo governo. Tanto a Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag) quanto o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) contestam os dados do ministério.Jungmann disse considerar "suspeito" o questionamento dessas entidades, uma vez que, segundo o ministro, elas já poderiam ter acionado o Congresso e o Tribunal de Contas da União (TCU) para a realização de auditoria. "Elas temem tirar a limpo e ver que a verdade está do nosso lado", disse Jungmann.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.