Para João Paulo, não houve recuo do governo, e sim acordo

O presidente da Câmara, João Paulo Cunha, afirmou hoje que o governo não recuou na proposta de reforma previdenciária. "Houve um acordo. O governo não recuou, nós conversamos amplamente com os ministros, com os executivos, e acho que foi bom para o Brasil. Ninguém ganhou ou perdeu nada", afirmou aos jornalistas brasileiros em Buenos Aires, após café da manhã com empresários do grupo Brasil. No mesmo sentido, o líder do governo na Câmara, Aldo Rebelo, disse que não houve decepção, nem quebra de expectativas do governo. Segundo ele, a espinha dorsal foi mantida e será aprovada: "Vamos aprovar com 80% dos votos que conseguiremos na Comissão de Constituição e Justiça". Ele não acredita que a ala descontente do PT com a proposta apresentada possa dificultar a aprovação no plenário. Rebelo disse que o governo não ficou a sensação de que não conseguiu o que queria. João Paulo e Rebelo, que desembarcaram ontem em Buenos Aires, visitam o Congresso argentino e concederão uma entrevista à imprensa brasileira no País às 17h.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.