Para Jefferson Péres, senadores merecem punição

Franzino e reservado, o senadorJefferson Péres (PDT-AM) chama atenção pela força e seriedadeque defende seus pontos de vista acrescidos de crítica e humor.Titular do Conselho de Ética, ele é implacável ao avaliar o casoque envolve seus colegas Antonio Carlos Magalhães (PFL-BA) eJosé Roberto Arruda (PSDB-DF): "Eles quebraram o decoro emerecem punição". Para ele, o Senado não pode ser "tolerante"pois se isso ocorrer, haverá a "desmoralização" da Casa. Nasua opinião, se ACM e Arruda forem cassados, será inevitávelinstaurar um processo de investigação para apurar as denúnciasque cercam o presidente do Senado, Jader Barbalho (PMDB-PA). Mantendo o estilo irônico que o caracteriza, Péres nãoresistiu, depois de ouvir as explicações de ACM e Arruda, ecomentou: "Isso parece um samba do crioulo doido, acho que oúnico vilão dessa história deve ser a ex-diretora do ProdasenRegina Borges que poderia ser enviada para uma penitenciária ouuma clínica psiquiátrica", disse ele, referindo-se àsrevelações que levantaram as suspeitas de que a violação dopainel foi feita a mando dos dois senadores. A seguir osprincipais trechos da entrevista.Agência Estado - O Senado de hoje é pior do que o deontem? Senador Jefferson Péres - É difícil saber exatamente adiferença de cenário, o que é claro que as situações hoje vêm àtona e não há disfarces, talvez a Casa esteja menoscorporativista. O escândalo do painel provocou um interessesurpreendente da população de modo que se o Senado for tolerante corre riscos de se desmoralizar. Já se a decisão for oposta,ganhará o crédito da população tão desconfiada. AE - Os senadores Antonio Carlos e Arruda se queixam queo Conselho de Ética está fazendo pré-julgamentos, isso é real? Péres - Eles dois estão condenados pela opinião públicaque tem a clara certeza de que são culpados. O conselho deverájulgar se quebraram ou não o decoro, o que para mim ocorreu,merecendo a devida punição. Os dois senadores insistem ematribuir a responsabilidade à doutora Regina, demonstrando oquanto subestimam a inteligência de todos, talvez confundindoesperteza com safadeza, sem querer fazer rima. AE - Depois de analisado o caso ACM e Arruda, será a vezde levar adiante as denúncias envolvendo o presidente do Senado,Jader Barbalho? Péres - São situações diferentes pois envolvem temasdiferentes, um diz respeito à suspeita de quebra de decoro e ooutro trata de denúncias de desvios de verbas. De qualquermaneira dou ao senador Jader a presunção de inocência, porém éinquestionável que há um desconforto no Senado em manter umpresidente que toda semana tem de explicar-se sobre acusaçõesdiversas. Alguma coisa precisa ser feita.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.