ANDRE DUSEK|ESTADAO
ANDRE DUSEK|ESTADAO

Para Gilmar Mendes, não há impedimento para Jucá ser ministro

Ministro do STF diz que titular do Planejamento, que é alvo da Lava Jato, já tem foro privilegiado; segundo ele, caso é diferente do relativo a Lula, que teria sido nomeado para cargo para 'fugir do foro competente'

Isadora Peron, O Estado de S.Paulo

19 de maio de 2016 | 12h39

BRASÍLIA - O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, afirmou nesta quinta-feira, 19, não ver problema no fato de o senador Romero Jucá, que é alvo da Lava Jato, ter assumido o ministério do Planejamento na semana passada.

Para ele,  a situação de Jucá é diferente da do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que teve a nomeação suspensa para a Casa Civil da então presidente Dilma Rousseff.

 

"No caso do ex-presidente Lula, o que se discutiu foi a nomeação para ser ministro para, eventualmente, fugir do foro competente, que seria o de Curitiba. Aqui é uma outra situação, porque o ministro Jucá já é senador e responde a inquérito. A princípio não há nenhum impedimento de ele assumir o ministério", disse.

Em ofício enviado à Procuradoria-Geral da República, o senador Telmário Mota (PDT-RR) pede que a nomeação do peemedebista seja anulada porque atenta contra o princípio da moralidade. Ele lista oito processos em que o ministro é investigado por corrupção, peculato, formação de quadrilha, entre outros.

Lula. O ministro do STF foi o responsável por conceder uma liminar que proibiu Lula de tomar posse na Casa Civil em março. Ele era o relator de duas ações que questionavam a nomeação do ex-presidente ao cargo. Nesta semana, Gilmar entendeu que os pedidos perderam o objeto, já que Lula foi exonerado há uma semana com os demais ministros de Dilma, após a aprovação do impeachment de Dilma no Senado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.