Para Genoino, teto e faixa de isenção preservam reforma

O presidente do PT, José Genoino, afirmou hoje, ao chegar para a reunião da bancada do PT na Câmara, que um eventual aumento no teto de benefício previdenciário de R$ 2,4 mil para R$ 2,7 mil e o eventual aumento do limite de isenção para taxação dos servidores públicos inativos de R$ 1.058 para R$ 1,3 mil não contrariam a decisão do diretório do partido de fechar questão em torno da reforma da Previdência. Isso porque, segundo ele, o coração da emenda estaria preservado: o teto, criação de fundos de pensão fechada e a taxação dos inativos. Genoino disse entender que essas eventuais modificações são questões técnicas, não políticas. ?Se houver sustentação orçamentária, não há problema. Tem de ter teto. Se for possível chegar a R$ 2,7 mil, é uma questão secundária", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.