Para FHC, pressão para demitir ministro após denúncia é comum

Ex-presidente acredita que Dilma considere a possibilidade de demitir Orlando Silva do Esporte, mas ressalva que é preciso ‘dar tempo ao tempo’

Daiene Cardoso, da Agência Estado

22 de outubro de 2011 | 13h50

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso disse neste sábado, 22, que não se surpreende com as pressões sobre a presidente Dilma Rousseff para demitir o ministro do Esporte Orlando Silva e afirmou que quando há denúncia envolvendo auxiliar próximo do presidente é comum que haja essa pressão.

"Isso sempre foi assim, quando sai denúncia, não tem jeito. É que esta havendo muita denúncia", disse, referindo-se à queda de quatro ministros do governo Dilma denunciados por irregularidades. Questionado sobre os motivos de tantas denúncias, FHC foi irônico: "Tem de perguntar para o pessoal do PT."

Para o ex-presidente, é preciso "dar tempo ao tempo" e esperar o processo de esclarecimento das denúncias. Fernando Henrique acredita que Dilma deva estar aguardando a conclusão das investigações para definir o futuro de Orlando Silva na pasta.

"Não sou presidente e, por sorte, não tenho de opinar sobre uma coisa que é sempre desagradável, que é demitir alguém. Mas acho que ela deve estar considerando", afirmou o ex-presidente após participar de palestra promovida pelo Diretório Municipal do PSDB, em São Paulo.

O encontro reuniu os pré-candidatos do partido para a eleição municipal de 2012.

Tudo o que sabemos sobre:
FHCDilmaOrlando Silvaesporte

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.