JOSE PATRICIO/ESTADÃO
JOSE PATRICIO/ESTADÃO

Para FHC, Petrobrás e Congresso devem explicações sobre CPI

Ex-presidente afirma que, se combinação de perguntas e respostas for confirmada, parlamentares estão participando de 'uma farsa'

JOSÉ ROBERTO CASTRO, Agência Estado

05 de agosto de 2014 | 13h50

 

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso afirmou nesta terça-feira, 5, que cabem à Petrobrás e ao Congresso dar explicações sobre a denúncia de suposta combinação de perguntas e respostas entre integrantes da CPI instalada no Senado e a cúpula da estatal. O tucano disse que, caso fique provado o envio prévio dos questionamentos, o Congresso estará participando de uma "farsa".

"Não é o governo, é a Petrobrás que tem que dar explicações e o Congresso. Realmente o Congresso tem que explicar. Se isso for assim, o Congresso está participando de uma farsa, o que é inaceitável", afirmou FHC. Nessa segunda, 4, questionada sobre o caso, a presidente Dilma Rousseff disse que o Congresso Nacional deveria responder sobre o caso. Perguntado sobre um possível aparelhamento da Petrobrás, FHC disse que ele não visa beneficiar exatamente o governo, mas os partidos aliados.

 

Na edição desta terça, o Estado revelou que o encontro que discutiu perguntas e respostas de interrogados na Comissão do Senado foi realizado em sala anexa à da presidente da empresa, Graça Foster. A reunião foi filmada e as imagens foram reveladas pela revista Veja. A Petrobrás se defende afirmando que as perguntas eram públicas e foram disponibilizadas no site do Senado. A CPI foi criada para investigar a compra da refinaria de Pasadena, no Texas (EUA), pela estatal brasileira. 

O presidente da CPI, senador Vital do Rêgo (PMDB-PB), pediu abertura de sindicância para apurar o envolvimento de servidores e senadores, além de investigação pela Polícia Federal.

Lula. Fernando Henrique falou ainda sobre sua relação com seu sucessor Luiz Inácio Lula da Silva, de quem disse que não se considera inimigo. Respondendo a uma pergunta do programa humorístico CQC, o tucano disse que convidaria o petista para assistir a um jogo do Corinthians em sua casa. "Eu nunca o considerei inimigo político, esse negócio de inimigo quem gosta é o Lula, o nós e eles."

Nas últimas semanas, os presidentes de honra dos dois partidos que polarizam há 20 anos a disputa política no Brasil trocaram farpas pela imprensa. FHC escreveu um artigo criticando a postura Lula durante o período eleitoral. Perguntado sobre o que achava do texto, Lula se limitou a dizer que não lia Fernando Henrique Cardoso. "Somos todos brasileiros, é um concorrente, espero que ele veja assim e não fique com essa história de nós e eles".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.