Para Erundina, aliança com Maluf não vai tirar votos

Um dia após reconhecer que se sente desconfortável com a aliança com o deputado Paulo Maluf (PP), a deputada e ex-prefeita Luiza Erundina (PSB), pré-candidata a vice em São Paulo ao lado do ex-ministro Fernando Haddad (PT), afirmou que o apoio do ex-prefeito não deve fazer com que seus eleitores desistam de votar na chapa.

DÉBORA ÁLVARES, Agência Estado

18 de junho de 2012 | 09h13

"Os que me apoiam não fazem isso por uma questão meramente ideológica, mas pela questão política, de programa de governo, políticas públicas e método de gestão", disse ontem Erundina, antes de encontrar amigos e apoiadores - incluindo ex-secretários de sua gestão (1989-1992).

O encontro ocorreu na casa da ex-secretária de Bem-Estar Social Rosalina de Santa Cruz e reuniu cerca de 30 pessoas, entre sindicalistas, professores e amigos pessoais. "São companheiros e companheiras, alguns que integraram meu governo, mas sobretudo gente que tem muita identidade política e, num momento como esse, não poderia deixar de pedir apoio e ter essas pessoas juntas construindo a campanha e tê-las, eventualmente, num futuro governo, participando dele", explicou a deputada.

Amiga pessoal de Erundina e anfitriã do encontro, Rosalina disse torcer para que a aliança com o PP não se concretize. "Maluf não tem a ver com a proposta que a Luiza defende e sempre defendeu, que é a de uma cidade democrática, socialista, da alegria, onde o povo seja respeitado. Nenhum de nós está gostando", afirmou. As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.