Para Edison Lobão, senadores devem ser "sensatos e equilibrados"

A principal preocupação de senadores do PFL, PMDB e PSDB é que o destino dos senadores Antonio Carlos Magalhães (PFL-BA) e José Roberto Arruda (sem partido-DF) seja decidido com responsabilidade, uma vez que estará em xeque o futuro do próprio Senado. "Não acredito que o povo esteja interessado no desprestígio e liquidação do Congresso. No instante em que isso ocorrer seria o fechamento do poder Legislativo, suplantado por uma ditadura", advertiu o vice-presidente do Senado, Edison Lobão (PFL-MA). Por isso, os senadores precisam ser "sensatos, equilibrados na devida medida" ao tomarem qualquer decisão no caso da violação do painel eletrônico que teve a participação de Arruda e ACM. Apesar de reconhecer os estragos que o episódio tem causado à imagem do Legislativo na opinião pública, Lobão afirma, no entanto, que o Senado tem cumprido o seu papel e votado matérias importantes. " Será que um episódio poderá levar a instituição ao fim do poço"?, questionou preocupado o vice-presidente do Senado. Posição semelhante foi defendida pelo senador Lúcio Alcântara (PSDB-CE), que integra o Conselho de Ética e preside a Comissão de Assuntos Econômicos (CAE). "Vamos ter que julgar com senso de responsabidade", afirmou Alcântara, recusando-se, porém, a adiantar sua posição. Esse vem sendo também o tom usado pelo líder do PMDB, senador Renan Calheiros (AL), ao indagar que comportamento a bancada de seu partido adotará para punir os dois senadores envolvidos na violação do painel eletrônico.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.