Para driblar insatisfeitos, Lula adota saída ''Danuza Leão'' e viaja para Paris

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva adotou a solução "Danuza Leão" para fugir das lamúrias do PT no fim de semana. De acordo com informações de bastidores do Palácio do Planalto, Lula adiantou em dois dias a viagem a Paris por ter percebido que, após enquadrar o PT e fazer com que o partido parasse de pedir o afastamento do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), teria de receber os senadores e dirigentes em romaria, cada um com sua queixa e suas justificativas.Na autobiografia Quase tudo, a jornalista Danuza Leão ensina que, diante de qualquer problema, a solução é comprar uma passagem e passar o fim de semana em Paris. Claro que o conselho vale para quem tem dinheiro ou dispõe de um jato para cruzar o Atlântico. Em Paris, Lula já era aguardado pela primeira-dama Marisa Letícia. Segundo o porta-voz do Planalto, Marcelo Baumbach, Lula viajou no sábado para descansar e se preparar para receber hoje o prêmio Félix Houphouët-Boigny, concedido pela Unesco a quem se destaca na defesa da paz (leia texto na página A10). Ele receberá, junto com o prêmio, U$ 150 mil. Ainda hoje o presidente segue para Roma, para participar amanhã da reunião do G-8, em L?Áquila. Ao passar o fim de semana em Paris, Lula livrou-se do PT, mas acabou deixando sem cobertura os problemas de Honduras, onde o presidente deposto, Manuel Zelaya, tenta retornar. Isso porque o presidente levou com ele o ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, e o assessor especial Marco Aurélio Garcia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.