Para Dirceu, é 'ridículo' associá-lo à denúncia de Denise

O ex-ministro da Casa Civil do governo Lula, José Dirceu, considerou "ridícula e inverossímil" a tentativa de insinuar que ele estaria por trás das denúncias feitas pela ex-diretora da Anac (Agência Nacional de Aviação), Denise Abreu, para enfraquecer a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff (Casa Civil). ?Eu estou fora do governo há três anos e não tenho nenhuma relação com o fato. As denúncias têm a intenção de atrapalhar a Dilma?, declarou o ex-ministro ontem, em Cascavel, no Oeste do Paraná, onde participou de programa de entrevista numa TV local. Depois de gravar o programa, José Dirceu comentou rapidamente as denúncias de Denise Abreu, que afirmou que a Casa Civil favoreceu a venda da VarigLog e da Varig ao fundo Matlin Patterson e aos três sócios brasileiros. Dirceu lembrou que foi ele quem a levou para trabalhar na Casa Civil durante a sua gestão. ?Eu estudei com a Denise Abreu e a indiquei por sua qualificação, mas quando ela foi indicada para a Anac, eu já estava fora do governo'', afirmou Dirceu, lembrando que Denise também trabalhou para o governo Mário Covas em São Paulo. Para ele, as denúncias já foram explicadas por ministros do governo Lula, mas declarou: ?Não vejo nada de ilegal ou favorecimento na venda da VarigLog e da Varig.? José Dirceu disse ter a convicção de que os fatos visam atingir diretamente a ministra Dilma, considerada pelo presidente Lula a sua eventual candidata à Presidência da República em 2010. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.