Para Dilma, não se pode ´demonizar´ as ONGs

A ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, disse nesta terça-feira que não se pode transformar a discussão sobre repasse de recursos para Organizações Não Governamentais (ONG) em um processo de disputa política. Ela se referia à proposta do ministro da Controladoria Geral da União, Jorge Hage, de criar concursos públicos para o repasse de recursos federais às ONGs. Para a ministra, não se pode "demonizar" as ONGs que, segundo ela, são estratégicas numa sociedade democrática. "Elas não são umas excrescências. São organizações que prestam grande serviço ao País", afirmou. Dilma defendeu o aperfeiçoamento constante da fiscalização dos repasses para as ONGs, mas destacou que não se pode fazer distinção entre elas porque não existe uma ONG melhor que a outra.Segundo reportagem de O Globo do último domingo, o Ministério da Justiça tem estrutura precária para fazer o controle das ONGs, que recebem recursos públicos todos os anos. O diário apurou que o ministério conta com uma equipe de apenas 12 funcionários para fazer a análise formal de mais de quatro mil entidades registradas no País. Ainda de acordo com O Globo, o governo não possui nem uma estimativa precisa do volume de recursos repassados às ONGs todos os anos. O Tribunal de Contas da União estima que este valor pode chegar a R$ 8 bilhões por ano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.