Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Para Cunha, PT cumpriu '80%' do que foi acordado em votação da MP do ajuste fiscal

Presidente da Câmara comentou sobre os 9 parlamentares da sigla que não votaram com o governo

DANIEL CARVALHO, O Estado de S. Paulo

07 de maio de 2015 | 15h33

Brasília - Com a "evasão" de nove dos 64 deputados petistas durante a votação da MP 665, que limita direitos trabalhistas como o acesso ao seguro-desemprego, o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), disse nesta quinta-feira, 7, que o PT "cumpriu 80%" do acordo que tinha feito com o PMDB.

O partido de Cunha havia cobrado do PT a defesa pública da MP para que apoiassem o governo federal na votação realizada na noite de quarta-feira. Ontem, o PT fechou questão em torno da Medida Provisória, mas não ameaçou punir os deputados da bancada que não votassem favoravelmente ao texto.

Dos 61 deputados petistas que marcaram presença no plenário, 54 votaram a favor e um, o mineiro Weliton Prado, votou contra a Medida Provisória. Os outros seis não votaram. "Simplesmente se evadiram", disse Cunha. "Quem tem que cobrar isso é o próprio PT, não somos nós. Apenas constatei o fato que eles se ausentaram. Alguns que até fizeram discurso antes e saíram depois", afirmou o presidente da Câmara.

Tudo o que sabemos sobre:
MP 665Eduardo Cunhaajuste fiscal

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.