Para compreender o caso das denúncias sobre o PT gaúcho

Para auxiliar o leitor a compreender o caso das denúncias de envolvimento do governo petista do Rio Grande do Sul com o jogo do bicho, seguem-se uma cronologia dos principais acontecimentos e, mais abaixo, um quem é quem na história. Cronologia 15/03/2000 - A Assembléia Legislativa do Rio Grande do Sul instala a CPI do crime organizado.6/09/2000 - O plenário da Assembléia aprova o relatório do deputado Francisco Appio, que propõe a criação de uma CPI para investigar a segurança pública do Estado.5/04/2001 - A Procuradororia-Geral da Assembléia dá parecer favorável à instalação de uma CPI para investigar a área da segurança pública.11/05/2001 - Uma reportagem do jornal Diário Gaúcho revela que cinco deputados estaduais estão sendo investigados por ligações com o jogo do bicho e suposto recebimento de doação para campanha eleitoral para governador em 199817/05/2001 - Surgem os primeiros depoimentos, dos delegados Farnei Araújo Goulart e Nelson Soares de Oliveira, sobre a possível ligação do governo do Estado com o jogo do bicho. Os delegados afirmam que banqueiros do jogo do bicho doaram dinheiro ao PT.18/05/2001 - O ex-tesoureiro do PT, Jairo Carneiro, expulso do partido acusado de desvio de dinheiro, afirma ao Diário Gaúcho que o Clube de Seguros da Cidadania recebeu R$ 600 mil do crime organizado. O dinheiro teria sido usado para comprar o prédio do Clube que depois foi cedido ao PT.26/07/2001 - O presidente do Clube de Seguros, Diógenes de Oliveira apresenta duas lista de supostos doadores. As listas teriam as doações feitas em 1999 que foram utilizadas para a quitação do prédio em 1998. Os valores que constam nas listas não cobrem o valor do prédio, de R$ 310.18/06/2001 - Esse teria sido o dia em que Jairo apresentou a cópia de uma fita aos promotores Mauro Renner e Carlos Araújo. A fita continha gravações que comprovavam a ligação entre o governo do Estado e o jogo do bicho. Caso a justiça garantisse proteção especial, Jairo se dispunha a falar na CPI da Segurança. 26/06/2001 - Sob proteção do programa de testemunhas, Jairo diz à CPI que mentiu ao Diário Gaúcho para se "vingar" do PT pela expulsão.18/10/2001 - Jairo continua dizendo, em novo depoimento, que inventou toda a história. Mas não explica as duas ligações que recebeu do PT no dia do primeiro depoimento.22/10/2001 - Representante da empresa Marcopolo diz que o dinheiro foi doado diretamente para o PT, e não para o Clube.27/10/2001 - A CPI ouve o ex-chefe de Polícia do governo Olívio Dutra Luiz Fernando Tubino, que reconhece o diálogo. Na conversa, um dos coordenadores da campanha do PT em 1998, Diógenes de Oliveira, sugere - dizendo falar em nome de Olívio - que o delegado Luiz Fernando Tubino não reprima os bicheiros gaúchos que teriam uma relação "muita boa e estreita" com os líderes petistas.05/11/2001 - A CPI da Segurança ouve por oito horas Diógenes de Oliveira. O presidente do Clube de Seguros não consegue explicar a origem dos recursos usados na compra do imóvel usado com sede do PT. Diógenes sai de lá direto ao Instituto de Cardiologia.07/11/2001 - a CPI da Segurança apreende documentação na casa de Diógenes. Em sua casa foram encontradas nove declarações de supostos doadores. Os valores, entretanto, totalizam R$ 32 mil.Quem é quem Diógenes Oliveira possui vínculos antigos com o governador Olívio Dutra. Em 1989, foi secretário municipal do Transportes e ocupou o mesmo cargo no mandato de Tarso Genro, na Prefeitura de Porto Alegre em 1993. Na reeleição de Olívio Dutra ao governo do Estado, em 1998, assumiu a função de arrecadar fundos com o empresariado local. Durante a campanha, teria pressionado o então chefe de Polícia, Luiz Fernando Tubino, para não reprimir com rigor o jogo do bicho no RS, já que o PT teria uma "relação estreita" com a contravenção. Diógenes também é sócio de uma empresa de turismo responsável pelos roteiros do MSTur.Luiz Fernando Tubino é delegado com 19 anos de carreira na polícia civil. Homem de confiança de Olívio Dutra por quase um ano, Tubino deixou o governo por divergir da política de segurança pública do governo petista. Ao depor à CPI, garantiu que o governo nunca orientou a Polícia a canalizar doações do jogo do bicho a obras sociais e negou ter conversado com Diógenes de OliveiraJairo Carneiro dos Santos foi afastado do cargo de tesoureiro do PT gaúcho e, segundo ele, por vingança, contou a jornalistas que o Clube de Seguros do PT servia de fachada para legalizar dinheiro doado por bicheiros. No dois depoimentos a CPI negou toda a história. Ele e Tubino tiveram os sigilos patrimoniais, bancários e telefônicos quebrados por decisão da Justiça.Tarso Genro - O atual prefeito petista de Porto Alegre defende punição rigorosa para Diógenes de Oliveira e o afastamento do PT do Clube da Cidadania.Farnei Araújo Goulart e Nelson Soares Oliveira são delegados de polícia. Disseram à CPI que Tubino teria dito em 1999 que o governo Dutra poderia estar recebendo dinheiro do jogo do bicho. Tubino nega a declaração.Clube de Seguros da Cidadania - Entidade assistencial ligada ao PT, fundada em 1998. Folder da instituição, apresentado por Alceu Collares durante a campanha eleitoral de 1999, mostra como avalistas das atividades do clube os petistas Olívio Dutra, Júlio Quadros (na época presidente regional do partido) e Raul Pont (ex-prefeito de Porto Alegre).RBS, Rede Brasil Sul - Maior conglomerado jornalístico do Sul do País, que possui uma retransmissora da Rede Globo e o jornal Zero Hora. É acusado por Diógenes de Oliveira de ter tido "interesses contrariados" pelo governo Olívio Dutra.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.