Para CNI, volta de Bezerra é "natural"

Em nota oficial, o presidente em exercício da Confederação Nacional da Indústria (CNI), deputado Moreira Ferreira (PFL-SP), afirma que considera "absolutamente natural" o retorno do ex-ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra, à presidência da CNI. Ferreira diz que já providenciou a preparação de todos os atos administrativos próprios para o retorno de Bezerra ao posto, e que terá satisfação em lhe transmitir o cargo. Na nota, Ferreira lembra que Bezerra foi eleito para o cargo pela primeira vez em 1995 e reeleito em 1998, "sempre pela unanimidade de votos das 27 Federações de Indústria dos Estados". O presidente interino da entidade afirma, ainda, que "ao longo dos anos, o companheiro Fernando Bezerra vem prestando relevantes serviços à indústria brasileira e muito ainda tem a fazer no comando de nossa principal entidade de representação". Veja a íntegrada nota:Declaração do presidente em exercício da Confederação Nacional da Indústria (CNI), deputado federal Carlos Eduardo Moreira FerreiraConsidero absolutamente natural o retorno do senador Fernando Bezerra a seu posto de presidente da Confederação Nacional da Indústria, eleito que foi em 1995, sendo reeeleito em 1998, sempre pela unanimidade de votos das 27 Federações de Indústria dos Estados. É, portanto, com satisfação que transmitirei o cargo de presidente da CNI a seu titular - sentimento que, com certeza, é compartilhado por todos os demais companheiros de diretoria. Ao longo dos anos, o companheiro Fernando Bezerra vem prestando relevantes serviços à indústria brasileira e muito ainda tem a fazer no comando da nossa principal entidade de representação. Com esse espírito de parceria e companheirismo, que sempre prevaleceu entre os dirigentes da Confederação, já providenciei a preparação de todos os atos administrativos próprios para o retorno do senador Fernando Bezerra à presidência desta casa. A ele formulo os meus melhores votos de êxito na retomada desta nobre missão, de defender o setor industrial brasileiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.