Fábio Motta/Estadão
Fábio Motta/Estadão

Para Ciro, 'é mais fácil um boi voar do que o PT apoiar alguém'

Em entrevista a rádio, o pré-candidato pedetista diz que Lula e seu partido precisam entender o momento nacional em relação à condenação em segunda instância do ex-presidente no caso do triplex no Guarujá (SP)

Leonardo Augusto, ESPECIAL PARA O ESTADO, O Estado de S.Paulo

24 de fevereiro de 2018 | 05h00

BELO HORIZONTE - O pré-candidato à Presidência da República pelo PDT, Ciro Gomes, afirmou nesta sexta-feira, 23, à Rádio Itatiaia, de Belo Horizonte, que “é mais fácil um boi voar do que o PT apoiar alguém”. Ciro comentava o encontro que teve com o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad (PT), no início da semana.

O pré-candidato pedetista disse que “Lula e o PT” precisam entender o momento nacional em relação à condenação em segunda instância do ex-presidente no caso do triplex no Guarujá (SP). “Todo mundo sabe que os tribunais não vão deixar o Lula registrar a candidatura por causa da Ficha Limpa”, disse Ciro, acrescentando que, mesmo assim “Lula vai registrar e aí começa com o negócio que a gente sabe: liminar de juiz acolá, puxadinho jurídico pra acolá”.

+++Ciro e Haddad avaliam união da esquerda

+++Lula deu aval para Haddad conversar sobre unidade da esquerda com outros partidos

Segundo o pedetista, “um país com 206 milhões de bocas não pode ficar refém dessa miudice política. O Brasil está acima de todos nós”. Na entrevista, Ciro falou ainda sobre a possibilidade de prisão do ex-presidente, condenado pelo juiz federal Sérgio Moro, de Curitiba, com sentença confirmada e ampliada pelos desembargadores do Tribunal Regional Federal da 4.ª Região (TRF-4). 

+++Oposição ensaia reaproximação e lança manifesto com conteúdo programático único

“Sofro com a ideia de um presidente, a quem tanta gente quer bem, merecidamente, mesmo repudiado e odiado, ser preso porque teria feito besteira ao redor de um triplex cafona numa praia de São Paulo”, disse Ciro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.