DIDA SAMPAIO/ESTADAO
DIDA SAMPAIO/ESTADAO

Para Cid Gomes, prefeitos aliados terão papel importante para a candidatura de Ciro em 2018

Ex-governador do Ceará e ex-minsitro da Educação esteve na posse de Roberto Cláudio, reeleito em Fortaleza

Carmen Pompeu, especial para O Estado, O Estado de S.Paulo

01 de janeiro de 2017 | 22h32

FORTALEZA - O ex-governador do Ceará Cid Gomes (PDT) disse neste domingo, 1º, durante a posse do prefeito reeleito em Fortaleza Roberto Cláudio (PDT), que as gestões de prefeitos aliados terão papel importante para a candidatura de seu irmão, Ciro Gomes (PDT), à Presidência em 2018.

"Dentre os nomes já postos, penso que ele (Ciro) é o que mais conhece a realidade do País; tem mais experiência, tanto por gestões passadas como ministro quanto pelo que ele tem andado pelo Brasil", avaliou Cid. Segundo ele, a definição da candidatura de Ciro depende apenas do calendário da legislação eleitoral. "Até lá, ele tem de viabilizar apoio popular e alianças com outros partidos", ponderou.

De acordo com Cid, sendo Ciro pré-candidato a presidente, as administrações de Roberto Cláudio, em Fortaleza, e do irmão caçula dos Gomes, Ivo (PDT), empossado também neste domingo prefeito de Sobral, no Norte do Ceará, ajudarão na campanha presidencial. "Claro que ajuda. Se forem fazer uma relação com o Ciro, Roberto e o Ivo serão muito visados", opinou.

Posse. Em seu discurso de posse, Roberto Cláudio destacou a presença de Cid Gomes e agradeceu o apoio recebido dele e de Ciro durante a campanha: "Destaco aqui minha gratidão pelas lições diárias de cidadania, de espírito público, de respeito e carinho ao povo, recebido por duas grandes referências da minha vida pública; dois líderes nacionais de enorme respeitabilidade, para nosso privilégio, filhos e militantes da política dessa terra: Ciro e Cid Gomes".

O prefeito fez uma prestação de contas da primeira gestão e destacou que o vice, Moroni Torgan (DEM) terá um papel fundamental na segunda. Mas evitou falar sobre o cenário político nacional.

Apoiado pelo governador do Ceará, Camilo Santana (PT), e pelos irmãos Ciro e Cid Gomes, o pedetista foi reeleito prefeito de Fortaleza em segundo turno com 53,57% dos votos válidos. O prefeito terá ampla maioria na Câmara Municipal. A base aliada dele reúne 31 vereadores, ante dez da oposição e outros dois que se declaram independentes.

Ciro não participou da posse de Roberto Cláudio. Ele preferiu prestigiar a cerimônia de posse de seu irmão Ivo que aconteceu no mesmo horário.  

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.