Para Cardozo, relação Executivo-Judiciário é 'harmônica'

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, disse nesta segunda-feira, à Agência Estado que o episódio envolvendo o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes e o ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva não "prejudica" as relações entre Judiciário e Executivo.

RAFAEL MORAES MOURA, Agência Estado

04 de junho de 2012 | 16h58

Mendes acusa Lula de pressioná-lo por conta do julgamento do mensalão e agir como uma "central de divulgação" de informações para prejudicá-lo. Lula nega. Os dois se reuniram em abril passado, conforme revelou a revista "Veja".

"A relação com o governo e o Judiciário é harmônica, não teve nenhum problema, nenhum empecilho, essa é uma situação que transcende as relações entre o governo e o Judiciário, é uma questão do ministro do STF com o ex-presidente da República e que em nenhum momento prejudica as relações institucionais entre Judiciário e Executivo, que são muito harmônicas", afirmou Cardozo, ao deixar ao Palácio do Itamaraty.

Questionado se achava apropriado um ministro do STF se encontrar com um ex-presidente da República, Cardozo respondeu: "Inapropriado seria eu me pronunciar a respeito".

Tudo o que sabemos sobre:
CardozoLulaGilmar Mendes

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.