Para Cabral, absolvição de Renan é 'problema do Senado'

O governador do Rio, Sérgio Cabral Filho (PMDB), não quis comentar hoje a absolvição do senador Renan Calheiros no plenário do Senado. Cabral, que deixou o Senado em 2006 ao se eleger para o governo do Estado, declarou por sua assessoria que este "é um problema do Senado". Seu suplente, o senador Paulo Duque (PMDB-RJ), é apontado como um dos senadores que votou contra a cassação de Renan.Em seu blog na internet, o ex-governador Anthony Garotinho, presidente do PMDB fluminense, atribuiu ao PT a absolvição de Renan. "A surpreendente absolvição de Renan Calheiros pode ser debitada às ações subterrâneas do PT, a instituição partidária que outrora se apresentava à sociedade brasileira como paradigma da moralidade", escreveu. "Curioso é o fato de que nem mesmo o PMDB, partido de Renan, tivera papel tão ativo na costura desse funesto conluio do mal".

ALEXANDRE RODRIGUES, Agencia Estado

12 de setembro de 2007 | 19h37

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.