Para Bezerra, denúncias visam atingir 'imagem do PSB'

O ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra, atribuiu hoje a sucessão de denúncias contra ele a uma tentativa de denegrir a imagem de seu partido, o PSB. "(O que se pretende é) atacar a imagem do meu partido, que preserva valores de impessoalidade, probidade e conduta ética", criticou o ministro, durante a reunião da Comissão Representativa do Congresso que ocorre nesta quinta-feira no Senado.

ANDREA JUBÉ VIANNA, Agência Estado

12 de janeiro de 2012 | 16h38

Bezerra voltou a negar que 90% dos recursos do ministério destinados a ações de prevenção a enchentes favoreceram o seu Estado, Pernambuco, conforme revelou reportagem do jornal O Estado de S. Paulo. O líder do PSDB, senador Álvaro Dias (PR), perguntou ao ministro se o direcionamento desses recursos realmente seguiu orientação da presidente Dilma Rousseff. "A presidente estaria voltando as costas para os demais Estados atingidos por calamidades públicas?", provocou o tucano. "Os mortos da região serrana do Rio de Janeiro, do litoral do Paraná, não sensibilizam o governo?", acrescentou.

O ministro não respondeu sobre Dilma. Apenas reafirmou que os R$ 98 milhões empenhados em favor do Estado para construção de um sistema de barragens atendeu "determinação legal", porque somente Pernambuco teria apresentado projetos na forma da lei para receber a verba. Ele lembrou que o Ministério das Cidades firmou um convênio no valor de R$ 330 milhões com o Rio de Janeiro voltado a ações antienchentes - montante superior à verba destinada a Pernambuco.

Tudo o que sabemos sobre:
BezerraCongressoPSB

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.