Para Bernardo, aprovação do Orçamento 'passou da hora'

Ministro do Planejamento diz que levará este argumento a Brasília nesta terça, para aprovação do projeto

EVANDRO FADEL, Agencia Estado

10 de março de 2008 | 19h56

O ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão, Paulo Bernardo, disse nesta segunda-feira, 10, em Curitiba, que levará à reunião com os líderes do Congresso, nesta terça,  em Brasília, um único argumento para a aprovação do Orçamento do País para 2008: "Passou da hora." "Tínhamos de ter o Orçamento em dezembro, passou o Natal, passou o ano-novo, passou o carnaval, vai chegando a Semana Santa e não é muito civilizado ter uma situação em que o Orçamento não é votado", afirmou. "A forma como tem de ser resolvida (a situação) é também pouco civilizada, nos vemos obrigados a fazer medidas provisórias (MPs)." Veja Também:  'Lula deveria cobrar lideranças', diz Garibaldi sobre OrçamentoPara Lula, Congresso aprova Orçamento ainda esta semanaBernardo, que esteve na capital paranaense para uma palestra a empresários, na sede da Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep), sobre a reforma tributária, disse que o Legislativo, na origem, tem como atribuição a aprovação do Orçamento. "Se não aprova, é uma involução", afirmou. Mas ele reforçou a expectativa de que possa ser votado ainda esta semana. "Não vemos nada que justifique a postergação", disse. Segundo Bernardo, as disputas internas entre parlamentares que desejam levar mais recursos para as próprias regiões passou. "A comissão briga, agora, por questões menores, questões pontuais", lamentou.  

Tudo o que sabemos sobre:
Orçamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.