Para analista, tiro saiu pela culatra e dossiê favorece Dilma

Marco Antonio Villa diz que oposição precisa tirar caso de foco e centrar fogo no PAC para desgastar governo

Andréia Sadi, do estadao.com.br

09 de maio de 2008 | 19h16

A forma como o dossiê contra Fernando Henrique Cardoso vem sendo discutida prejudica a oposição e só favorece um cenário: a possível candidatura de Dilma Rousseff em 2010. A afirmação é do historiador e professor do Departamento de Ciências Sociais da Universidade Federal de São Carlos (Ufscar), Marco Antonio Villa. "Tudo isso acaba favorecendo a candidatura da Dilma Rousseff porque grande parte da população não faz nem idéia do que é o dossiê. Isso só faz catapultar a figura da ministra, que aparece ainda mais na mídia. Aquela senhora que era desconhecida, vai aparecendo nos comícios - que Lula chama de evento do PAC, o que é uma piada", disse.   Veja Também:  Ouça a entrevista 'Candidatura de Dilma em 2010 está morta', diz analista Dossiê contra FHC foi decisão de governo Dilma admite 'banco de dados' sobre FHC e nega dossiê Briga entre FHC e Lula antecipa debate sobre sucessão Os ministros caídos  Entenda a crise dos cartões corporativos  IMAGENS: Os momentos de 'amor e ódio' de FHC e Lula    Para o professor, o tiro saiu pela culatra e a oposição precisa acabar com essa discussão de dossiê e puxar outro gancho para "desgastar o governo". "O tiro saiu pela culatra, a oposição precisa acabar com essa discussão do dossiê, por que do jeito que a discussão está sendo conduzida, só favorece a ministra", disse.   "A estratégia deu errado, (a oposição) não pode insistir nisso. Pode querer ir pelo PAC, centrar fogo nisso e dizer que é eleitoreiro. Mas esse lengalenga do dossiê não dá", afirmou.

Tudo o que sabemos sobre:
DossiêDilma RousseffFHC

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.