Para alckmistas, tucanos saem ''alinhados'' para 2010

O grupo do candidato do PSDB à Prefeitura de São Paulo, Geraldo Alckmin, deu sinal ontem de que a intervenção do governador José Serra para demover a ala do tucanato ligada a ele de uma disputa na convenção do partido terá retribuição. "Depois de tudo o que aconteceu, não há dúvida: os dois (Serra e Alckmin) saem mais alinhados para 2010", afirmou o deputado Edson Aparecido (PSDB-SP).Na convenção, anteontem, Alckmin foi anunciado candidato sem precisar enfrentar a chapa que propunha o nome do prefeito Gilberto Kassab (DEM).É a primeira vez, depois de quase dois anos de disputa interna entre os dois grupos, que a ala alckmista dá sinais de um armistício e fala em apoio ao governador na eleição presidencial de 2010. Em 2006, Serra e Alckmin disputaram o posto de candidato do PSDB à Presidência e, desde então, os dois lados vivem em confronto.Aparecido explicou a mudança de posição. "Essa fase final (de crise no PSDB) aproximou os dois. Eles viram que precisam um do outro", disse.A ordem, agora, relatou outro aliado de Alckmin, é guardar as armas. O objetivo é facilitar o engajamento dos kassabistas na campanha. Ainda ontem os vereadores do PSDB que apoiaram a tese pró-kassab avaliavam qual a "fórmula" para atender à decisão partidária (apoio a Alckmin) e continuar no governo de Kassab. "Aqueles que nos colocaram nessa situação têm a responsabilidade de nos ajudar a encontrar essa fórmula", disse o vereador Gilberto Natalini, que telefonou ontem ao prefeito para esclarecer a desistência da chapa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.