Para Alckmin, reunião de tucanos foi mal interpretada

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, afirmou hoje que a reunião entre caciques tucanos realizada na semana passada para discutir a escolha do candidato do PSDB à Presidência da República foi alvo de uma interpretação equivocada. "Houve uma interpretação errada daquela reunião", disse Alckmin à Agência Estado. "Foi uma reunião de avaliação, uma coisa boa, de conversa", acrescentou.Alckmin evitou falar diretamente sobre o fato de o nome do prefeito de São Paulo, José Serra, ter ocupado fortemente o debate em torno da questão presidencial desde que a reunião ocorreu. No entanto, foi exatamente nesse encontro que o presidente do PSDB, Tasso Jereissati, lançou oficialmente a pré-candidatura de Serra. Esta também foi a ocasião em que o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso afirmou que Serra será o candidato do PSDB se o povo quiser. A reunião, realizada na residência de FHC, contou também com a presença do governador de Minas Gerais, Aécio Neves.As afirmações de Alckmin foram feitas alguns minutos após o governador ter dado entrevista coletiva para divulgar dados da segurança pública no Estado, em uma lanchonete próxima ao local do evento. Durante a coletiva, o governador evitou falar mais abertamente sobre a possível predileção de FHC pelo nome de Serra, ressaltando que não há um abalo a sua pré-candidatura e que "este é um assunto interno da direção partidária". Assim como tem feito nas últimas semanas, Alckmin aproveitou para andar entre populares e cumprimentar eleitores, dando continuidade a sua pré-campanha.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.