Para Alckmin, mudanças não podem ser feitas na correria

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), afirmou hoje os governadores não podem dar uma resposta em relação às mudanças na proposta de reforma da Previdência em apenas 24 horas. "Me parece preocupante fazer mudanças dessa magnitude em 24, 48 horas. A maioria das pessoas sequer sabe aquilo que está sendo proposto", disse, acrescentando que apenas hoje de manhã teve acesso ao texto que propõe alterações em relação à proposta original da reforma Previdenciária. Para o governador, o tema é complexo e relevante, o que justifica, segundo ele, maior aprofundamento. "Nós precisamos ter mais segurança", afirmou. Alckmin disse que só a partir de agora poderá avaliar o impacto das mudanças no Estado. "Precisamos ter qualidade. Não pode uma correria dessa comprometer a reforma", analisou.Alckmin, no entanto, garantiu que não vai tentar alongar o prazo para dar resposta ao governo federal. "Eu não vou tentar adiar. Só estou fazendo uma constatação." Questionado quando daria a resposta, afirmou: "Na hora em que tivermos as conclusões e simulações feitas." Ele disse que isso deve ocorrer nos próximos dias, quando os técnicos concluírem as análises.

Agencia Estado,

16 de julho de 2003 | 14h15

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.