Para Alckmin, demissão de assessor foi 'apenas cuidado'

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, disse hoje que não acredita em fato irregular que levou à demissão do assessor da Secretaria de Desenvolvimento Metropolitano de São Paulo, Luiz Antonio Pereira de Carvalho, cuja exoneração foi publicada ontem no Diário Oficial. Na avaliação do tucano, a saída do assessor foi "apenas um cuidado" tomado pelo secretário Edson Aparecido, considerado um dos auxiliares mais próximos do governador no Palácio dos Bandeirantes. "Não havia necessidade em demitir", afirmou o governador, em entrevista coletiva na Estação Corinthians - Itaquera do Metrô, após entregar três novos trens para a frota da Linha 3 - Vermelha.

WLADIMIR DANDRADE, Agência Estado

21 de outubro de 2011 | 14h29

O tucano chegou a questionar se houve fato irregular na licitação realizada pela Prefeitura de Lourdes, no noroeste paulista. O jornal "Folha de S.Paulo" publicou reportagem hoje segundo a qual, após a concorrência, o governo de São Paulo liberou R$ 150 mil para a empresa do assessor, ex-prefeito de Guzolândia, também no noroeste paulista. "Qual é o fato irregular?", questionou. "A Prefeitura fez uma licitação e alguém ganhou a licitação. A empresa vencedora não era dele, e sim de uma pessoa da família", disse o governador. O assessor transferiu formalmente, em 2009, a empresa para os nomes de sua mãe e sua mulher. O tucano, contudo, afirmou que a responsabilidade da concorrência é da Prefeitura de Lourdes. "Nós vamos verificar se tem algum problema na licitação", afirmou.

Tudo o que sabemos sobre:
alckmindemissãoassessor

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.