ANDRE DUSEK/ESTADÃO
ANDRE DUSEK/ESTADÃO

Para Alckmin, no modelo parlamentarista, o governo já tinha caído

Governador de São Paulo sugere que Dilma perdeu a confiança e que, em outro sistema de governo, já teria sido afastada

RICARDO BRITO, O Estado de S. Paulo

08 de julho de 2015 | 15h14

Brasília - O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), afirmou há pouco que, se o modelo de governo no Brasil fosse parlamentarista, o governo já tinha caído. De passagem pelo Senado, onde discutiu a crise hídrica e propostas do pacto federativo, o tucano ressalvou que no modelo presidencialista não é dessa forma e defendeu, mais uma vez, que se cumpra o previsto na Constituição brasileira.

"É nosso dever cada um fazer sua parte. Tem que investigar. No modelo parlamentarista, o governo já tinha mudado, já tinha caído. Porque é só confiança. Perdeu a confiança, substitui o primeiro-ministro. No modelo presidencialista não é assim. (Ele) tem mandato e só pode ser interrompido por crime de responsabilidade, quando previsto na Constituição", afirmou.

Questionado mais uma vez sobre as "pedaladas fiscais" feitas pelo governo Dilma Rousseff, sob investigação do Tribunal de Contas da União (TCU), Alckmin frisou que não dispõe de detalhes para falar sobre a situação. Mas defendeu a investigação e o desenrolar dos fatos para poder analisar o caso de forma mais adequada. 

Tudo o que sabemos sobre:
crise políticaGeraldo AlckminDilma

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.