Para Agripino, depoimento de Denise terá desdobramentos

O senador Tasso Jereissati (PSDB-CE) definiu como uma 'operação extremamente picareta' a venda da Varig

CIDA FONTES, Agencia Estado

11 de junho de 2008 | 19h23

O líder do DEM no Senado, José Agripino (RN), afirmou nesta quarta-feira, 11, que o depoimento de Denise Abreu, ex-diretora da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), terá desdobramentos e que o foco agora será a presença "aética" do advogado Roberto Teixeira em situações distintas e divergentes na venda da Varig. Teixeira é citado como advogado em duas etapas: na venda da Varig para a Volo e, posteriormente, na revenda para a Gol. Além de Roberto Teixeira, Agripino avalia que a secretária-executiva da Casa Civil, Erenice Guerra, precisa dar explicações. "Era ela que fazia a pilotagem das decisões", comentou.       Veja também: Dilma nunca deu ordens expressas, mas fez pressão, diz Denise Para Virgílio, venda da Varig pode levar a nova CPI Senadores batem boca sobre 'perdão' da dívida da Varig Denise diz que dossiê pretendia pressioná-la psicologicamente Denise destaca rapidez incomum na certificação da nova Varig 'Governo arquitetou a saída dos diretores da Anac', diz Denise Turbulências da Varig O senador Tasso Jereissati (PSDB-CE) definiu como uma "operação extremamente picareta" a venda da Varig e rebateu a versão do senador Romero Jucá (PMDB-RR), segundo a qual a empresa teria sido vendita por R$ 277 milhões. Segundo Jereissati, R$ 24 milhões seria um adiantamento e o restante seria pago em várias parcelas. "É picaretagem pura", disse. Ele acrescentou que a participação de Roberto Teixeira como advogado das duas partes (na venda e depois na compra) precisa ser esclarecida.

Tudo o que sabemos sobre:
Varigdenise abreu

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.