André Dusek/Estadão
André Dusek/Estadão

Para Aécio, 'prisão de Vaccari também foi prisão preventiva do PT'

Senador participou de encontro entre presidentes de partidos da oposição e líderes das manifestações anti-Dilma

Pedro Venceslau, Isadora Peron, O Estado de S. Paulo

15 Abril 2015 | 16h02

Brasília - Na saída do encontro entre os líderes das manifestações contra o governo e presidentes de partidos de oposição, o senador Aécio Neves (PSDB-MG) disse que o partido encomendou vários pareceres jurídicos para embasar um possível pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff no Congresso Nacional. O senador evitou, porém, defender imediatamente essa tese, mas sinalizou que os tucanos avançam nesse sentido. "Estamos estudando todas as alternativas possíveis", afirmou. A prisão do tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, na manhã desta quarta-feira pela Operação Lava Jato, também foi assunto entre os tucanos. "A prisão de Vaccari foi também a prisão preventiva do PT", disse o senador mineiro e presidente nacional do PSDB.

A bancada tucana na Câmara dos Deputados defende majoritariamente que o partido já protocole o pedido de impeachment no Congresso. A prisão de Vaccari deu mais força a esse setor do partido. Mas a proposta ainda encontra resistência por parte dos senadores do PSDB.

O senador Ronaldo Caiado (DEM-GO) disse ao Broadcast Político que o partido pretende pedir na Justiça a extinção do PT caso seja comprovado que o tesoureiro João Vaccari Neto usou recurso de caixa 2 na campanha presidencial petista de 2014.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.